BLOG

Como a dor de uma perda pode contribuir para o seu desenvolvimento profissional

2020 nos ensinou muitas coisas, mas a principal delas, com certeza foi a de que precisamos aprender a lidar com a dor da perda.

Quando você passa por um trauma, como a perda de um ente querido muito próximo, você ganha muita humildade, e muitas perspectivas diferentes, livres de egos e agendas.

Tilak Mandadi, Vice-Presidente Executivo da Disney teve a triste experiência de perder uma filha de 19 anos, duramente assassinada.

Apesar da dura jornada de ter que separar a vida profissional, da vida pessoal e mesmo se sentindo exausto por ter que viver em dois mundos completamente diferentes durante a sua volta ao trabalho, Tilak conseguiu extrair 3 importantes lições sobre como a dor da perda pode ajudar as pessoas no trabalho.

O poder da empatia no ambiente de trabalho

Nem simpatia e nem compaixão. Empatia é algo totalmente diferente e profundo. Para Tilak, a dor nos ensina a termos empatia genuína pelos outros. Em um ambiente de trabalho, onde a empatia é a essência da cultura, as pessoas estão muito mais propensas a se divertir e serem mais produtivas. Mas então, como criar e nutrir a empatia no ambiente de trabalho e cuidar de pessoas como Tilak?

1. Crie uma Política clara e específica que permita ao colaborador lidar com sua dor

Ao voltar para o ambiente de trabalho, o colaborador que sofre uma perda como a de Tilak pode se sentir um pouco perdido (ou dividido) entre permitir-se sentir a dor do luto e ter que se readaptar rapidamente à logística do trabalho novamente. Por isso é bom que a sua empresa tenha definido um protocolo específico para esses casos, como o período de licença por luto e deixar que o colaborador retorno para o mesmo cargo que exercia anteriormente.

Além da licença por luto, você pode determinar, por exemplo, a possibilidade de o colaborador poder trabalhar menos horas ou ter um tempo para se desconectar, caso necessário. Assim ele se sentirá mais confortável e seguro no retorno.

2. Ofereça acompanhamento psicológico e acolhimento a ele(a)

Da terapia à simples conversa sobre seus sentimentos é importante mostrar ao colaborador que a empresa está disposta a ajudar e a apoiá-lo com todos os recursos possíveis. Este, inclusive é um programa que pode fazer parte do seu pacote de benefícios de forma permanente e fará muito bem ao colaborador.

Durante esse tempo de acompanhamento e recuperação mental é importante contar com especialistas que saibam conduzir o colaborador de forma gradual de volta ao seu eu e à integridade de suas atividades.

3. Treine sua equipe para lidar e apoiar colaboradores que sofreram grandes perdas

Treinar sua equipe para que ela adquira empatia com certeza será essencial. Situações corriqueiras e até extremamente simples podem ganhar amplitudes enormes para quem perdeu alguém querido e nem todas as empresas possuem culturas que enfatizam a empatia.

Por isso, pensar diversos tipos de situação e cenários diversos pode ajudar a entender como agir com empatia. Durante o treinamento descreva frases que devem ser evitadas como “Eu sei pelo que você está passando…” ou “Não acredito que você está aqui…”

Saber o que dizer e na hora apropriada é, sem dúvida, a melhor forma de fazer alguém se sentir acolhido verdadeiramente. O treinamento de empatia pode ajudar as pessoas entenderem como criar um ambiente de confiança para saber lidar com este tipo de situação com mais naturalidade.

Simplesmente pergunte: “O que eu posso fazer por você?”

Em tempos nos quais ainda pairam muitas dúvidas sobre o futuro e as perdas pelo coronavírus ainda estão à nossa porta, empatia deve ser a chave para criar um ambiente de respeito pelas diferenças do outro e pelas mudanças que acontecem na vida dele.

Share on facebook
Share on Facebook
Share on twitter
Share on Twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on google

Posts Em Destaque

Posts
rECENTES

ARQUIVO

PROCURAR POR TAGS